10 junho 2009

# Mais braço, menos braço - 10 #

Tinha-a visto saltar do taxi. Linda (mesmo na morte?). Entrou no meu escritório, mas só mais tarde vi que tinha o corpo de uma bailarina mascarada e que os seus olhos eram pequenas cabeças de alfinete. Ficou à distância, como se existisse entre nós uma fresta bem larga, e disse “já virei o palco de pernas para o ar, não foi acidente nenhum”. Nem usou a cadeira. A sua dança ficou por ali. À saída, pousou um cartão “Leah Whiskey, detective” e deixou-me pálido, com os músculos das mandíbulas encaroçados. Compreendo...





















1 comentário:

Walter Neiger disse...

I like the first and the last ... great.